25 de abr de 2018

UM SUPREMO SERVICAL DA ORCRIM NO STF. TEM DESGRACA MAIOR?

Gilmar Mendes não faz por merecer o cargo que ocupa.

Crédito da imagem: Gazeta do Povo
Vou ser breve nos comentários de hoje. O assunto foge dos meus assuntos profissionais do dia a dia, pois não milito na área jurídica e nem tampouco na área de saúde.  Vou fazer um breve comentário sobre os últimos atos do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes. Enfim, o ministro Gilmar Mendes não anda bem da cabeça.  Os últimos atos e falas do ministro mostram o estado avançado da insanidade mental.
Vejamos, então. Na sessão que decidia sobre embargo de infringência da condenação do deputado Paulo Maluf, o ministro Gilmar Mendes entre seus comentários vociferou sobre as atitudes do juiz Sérgio Moro de Curitiba. Gilmar Mendes errou. O assunto que estava em pauta nem era sobre processo que fora julgado pelo juiz federal de Curitiba. Para um leigo como eu, deu para aperceber que o ministro Gilmar Mendes tem uma inveja tremenda da notoriedade que ganhou o juiz Sérgio Moro de Curitiba. Inveja também é uma doença!
Ontem, o ministro Gilmar Mendes votou pela retirada dos depoimentos dos Odebrecht (Marcelo e Emílio) do processos conhecido como do terreno do Instituto Lula e do sítio de Atibaia que correm na Vara Criminal sob responsabilidade do juiz federal Sérgio Moro. Ambos processos, inciados há cerca de dois anos, já estão em fase final para conclusão.  O alegado motivo da não citação da Petrobras nos depoimentos ao juiz Sérgio Moro, apresentado pelo relator ministro Toffoli no seu voto não tem fundamento.  A Rede Globo, na noite de ontem, mostrou os depoimentos do Emílio Odebrech e do Antonio Palocci citando explicitamente que as propinas referidas nos processos em citados tinha origem nos contratos da Odebrech com a Petrobras.  O ministro Gilmar Mendes foi o voto que definiu pela retirada dos depoimentos dos Odebrech essencial nos processos que corre na 13ª Vara Criminal Federal. Isto vai dar muito pano para manga, ainda. A Procuradoria Geral da República já anunciou que vai recorrer da decisão da Segunda Turma do STF ao plenário do STF.
O fato notório é que o ministro Gilmar Mendes tem a sua clientela favorita. O ministro Gilmar Mendes, tem tomado decisões de favorecimento aos seus amigos do Rio de Janeiro, que chega a saltar aos olhos de leigos como eu. Os noticiários da grande imprensa tem mostrado claramente a relação promíscua do ministro Gilmar Mendes com alguns escritórios de advogacia no Rio de Janeiro. 
O ministro Gilmar Mendes tem demonstrado explicitamente de que é amigo de alguns investigados pelo crimes de corrupção. Um desses círculos de amizade é com o senador Aécio Neves que se tornou réu num processo de corrupção passiva pelo STF, na última semana. Sem nenhum receio de errar poderemos tirar as nossas conclusões de que o ministro Gilmar Mendes tem seus clientes de estimação e seus desafetos como o juiz federal Sérgio Moro de Curitiba e Marcelo Bretas do Rio de Janeiro. 
Gilmar Mendes demonstra claramente que não é imparcial, como é de se esperar de um ministro do Supremo Tribunal Federal.  Gilmar Mendes não faz por merecer o cargo de ocupa. 
Ossami Sakamori

Nenhum comentário: