Seguidores

17 de dez de 2014

QUEBRA DE SIGILO DE MAIS UM ESPERTALHAO DO PT


Jose Sergio Gabrielli

MP-RJ move ação contra Petrobras e pede quebra de sigilo bancário de Gabrielli
Ao lado, Sérgio Gabrielli. Ele vinha escapando de todas.

- Graça Foster não sabia de nada, diz Petrobrás. Ela só soube da roubalheira há um mês.Cada vez mais funcionários da estatal são incluídos na lista dos ladrões.

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) informou nesta terça-feira que entrou uma ação civil pública contra a Petrobras e a Construtora Andrade Gutierrez por suspeita de superfaturamento em contratos da estatal. Além disso, o Ministério Público pediu a indisponibilidade dos bens e quebra de sigilo bancário e fiscal do ex-presidente da companhia José Sérgio Gabrielli (entre 2005 e 2012) e do ex-diretor da estatal Renato Duque (entre 2003 e 2012), além de outras seis pessoas. Segundo a ação, quatro contratos firmados para a realização de obras da ampliação e modernização do Centro de Pesquisas e implantação do Centro Integrado de Processamento de Dados da Petrobras, entre 2005 e 2010, foram superfaturados. O prejuízo estimado é de R$ 32 milhões aos cofres da Petrobras, ainda de acordo com a Procuradoria, que não forneceu maiores detalhes sobre a ação. Os envolvidos devem responder por improbidade administrativa.
. Os demais citados na ação são Pedro José Barusco Filho, gerente-executivo de Serviços e Engenharia; Sérgio dos Santos Arantes, gerente Setorial de Estimativas de Custos e Prazos; José Carlos Villar Amigo, gerente de Implementação de Empreendimentos; Alexandre Carvalho da Silva, gerente Setorial de Construção e Montagem; e Antônio Perrota Neto e Guilherme Neri, responsáveis pela elaboração dos orçamentos dos contratos. Todos foram enquadrados na ação por improbidade administrativa.

. Os promotores responsáveis pelo caso deverão se pronunciar às 14h em uma entrevista coletiva. Procuradas, a Petrobras e a Andrade Gutierrez ainda não se manifestaram sobre o assunto. A estatal também é alvo de denúncias de corrupção na operação Lava Jato.

Nenhum comentário: