5 de out de 2013

SE O ESTADO E LAICO POR QUE ENSINAM MARXISMO NAS ESCOLAS?


Education-Indoctrination-Center

Há tempos atrás li a história de um aluno neo-ateu que decidiu processar a escola por que a professora exigia que ele rezasse o Pai Nosso em sala de aula. Nas redes sociais, ele se tornou um ícone dos neo-ateus. Nos Estados Unidos, uma neo-ateísta, Jessica Ahlquist, processou sua escola por que havia um quadro com uma prece na parede.
Entre os conservadores cristãos, muitos se indignaram com as duas figuras, quando na verdade poderiam agradecê-los pelo precedente aberto. Em nome do estado laico, pode-se, enfim, exigir que tanto doutrinação marxista como doutrinação positivista sejam expulsas de sala de aula.
Infelizmente, hoje temos muitas pessoas mal informadas a respeito do que de fato significa estado laico. Absurdamente, muitos acham que as regras do estado laico se aplicam somente a religiosos tradicionais, criando uma terra sem lei para anti-religiosos ou não-religiosos.
Diante desse erro grosseiro de entendimento, os conservadores cristãos vêem-se na obrigação de ficar na defensiva, enquanto a esquerda capitaliza com essa “brecha” lógica de maneira extremamente fácil. Mas na verdade, estado laico significa um estado oficialmente neutro em relação às questões religiosas. Todas elas.
Por questões religiosas, entendemos coisas como “O cristianismo é melhor que o islamismo?” ou “As religiões tradicionais devem ser banidas?”. Ambas são questões religiosas, pois a tomada de posição de acordo com suas respostas pode privilegiar pessoas e grupos de acordo com sua postura em relação a essas questões.
Sendo assim, tanto a afirmação “só o cristianismo é válido” como “nenhuma religião tradicional é válida”, se feitas em escolas estaduais, violam o princípio do estado laico. Repetindo: se a primeira afirmação viola o princípio do estado laico, a segunda viola da mesma forma, e essa é uma constatação lógica da qual não podemos fugir, a não ser que você tenha caído no truque da esquerda de achar que estado laico é uma regra proibindo a manifestação do cristianismo, ao mesmo tempo em que cria uma terra sem lei para outras religiões minoritárias, especialmente inimigos da religião tradicional e, ainda mais, os inimigos do cristianismo.
O problema é que a definição macaqueada de estado laico não tem nada a ver com o que esse conceito significa. Na verdade, aquilo que os esquerdistas defendem é violação do estado laico, enquanto fingem defendê-lo. Nada mais previsível para ideólogos que se inspiram em gente como Trotsky e Lenin, que defendem o uso da mentira como método de guerra política....cont. aqui: http://lucianoayan.com/2013/10/05/se-o-estado-e-laico-nao-podemos-aceitar-doutrinacao-marxista-e-nem-positivista-em-sala-de-aula/

Nenhum comentário: