Seguidores

1 de abr de 2013

ANTROPOLOGO PRESO SO E POBRE POR INCOMPETENCIA

O Brasil está atulhado de chantagistas da moral social. Essa gente usa qualquer meio para ter seu minuto de fama, para chamar a atenção com escândalos fajutas; para acusar e se vitimizar.
Um tal, Marcelo Regis Pereira, antropólogo de 35 anos que fazia baderna durante a seção da comissão de Diretos Humanos na Câmara Federal, afirmou que fora preso “por ser negro, por ser pobre e por ser gay”.

Ora, ninguém é preso por tais motivos. A condição de gay é essencialmente uma opção sexual pessoal, opção que já não importa a ninguém. Quanto a ser negro, no Brasil tornou-se até um privilégio, com direito a direitos que a grande maioria de brancos pobres não têm, como por exemplo: cotas raciais em universidades, bolsas e impunidade para acusar um cidadão branco de racista e preconceituoso. 

Tampouco foi preso por ser pobre, afinal, um antropólogo de 35 anos, só é pobre por incompetência própria, já que teve tempo suficiente de estudos para se preparar para um desses milhares de concursos públicos que remuneram um sujeito com salários de 8 à 23 mil Reais/mês.

O Sujeito foi detido (e não preso) porque cometeu excessos a pretexto de chantagear a moral social com seus complexos insuperáveis. Se o fato de ser gay culminasse em prisão, não haveria cadeia no Brasil nem mesmo para os transviados que apoiam um pederasta vulgar que o BBB ajudou a eleger deputado, um sujeito odiento e repugnante que afronta cristãos, protestantes, judeus e a sociedade brasileira, impunemente.


Fonte:  https://www.facebook.com/groups/253438948067141/permalink/450774251666942/  
Escritor Ruy Camara

Um comentário:

sicário disse...

Teresa...

“por ser negro, por ser pobre e por ser gay”.
A meu ver ele está muito longe de ser enquadrado como sendo da raça negra, como ele mesmo se define.
A questão é de lógica:
Se ele é negro, apesar da aparência branca, deve ter feito o tratamento para clarear a pele, como o fez M. Jakcson. Se fez o tratamento então não é mais negro e, frente ao custo do tratamento, tampouco pode se enquadra como pobre.
Consequentemetne, só restou ser gay.
Nooooosa, saindo nos braços dos seguranças ele conseguiu seus minutso de "fama".
abs.
Sicário