17 de out de 2011

Professor Tulio Vianna ensina mentiras sem base nenhuma em Universidade

Amigos, aqui esta uma parte da fala e um professor universitario de Minas. Prestem atencao pois os pais garanto,  nao tem nem ideia do que esta sendo ensinado a seus filhos e imaginam que eles se tornem advogados mas na realidade sairao futuros Hitlers. Cliquem no link e leiam tudo que e importante, Vejam as afirmativas dele em vermelho:
 “A religião só é religião até ser imposta; depois disso é simplesmente política e pode ser exercida tanto pela força das armas como pelos votos de uma maioria fundamentalista”.


A grande maioria da população brasileira é cristã porque quer. Onde está a imposição da religião aí? O mais patético de tudo é que ele acusa o uso inexistente da força para a consolidação da fé religiosa atual, quando na verdade, o proselitismo democrático dos religiosos é visto como uma ameaça à democracia. Ora, ora, ora, os cristãos, que representam a maioria da população brasileira, agora serão considerados cidadãos de segunda classe, seus os seus direitos políticos?


E o uso do nome de Deus para mascarar o exercício deste poder político é a ferramenta política mais hipócrita que já se inventou, mas tem funcionado muito bem ao longo da história”.


Neste trecho, Tulio Vianna faz o retrato de si mesmo e de sua ideologia, transferindo para os outros, o que é pensamento próprio dele: a de que a política e o direito residem apenas na força e na disputa. Nada mais hipócrita do que o próprio. Se não bastasse o desconhecimento sobre o que é dogma, o que é fé e o que é religião, Tulio Vianna desconhece também história. Vejamos:

“A Inquisição e a catequização de índios não foram ações religiosas, mas políticas. E pouco importam as boas ou más intenções daqueles que as realizaram, o fato é que buscavam com elas impor normas de condutas a populações que não a aceitaram por livre e espontânea vontade"


http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2011/10/o-estado-contra-religiao.html

Um comentário:

sicário disse...

Tereza...

O problema do ensino no Brasil é que débeis mentais "ensinam" e outros débeis que não conseguem pensar, repetem.
Não é de hoje que comunistóides tentam transmitir a idéia de politização da religião. A bem da verdade ele tem somente um pouco de razão porque afinal de contas tudo na vida é política.
O "geniozinho" tenta filosofar sobre um tema onde vários autores esquerdistas já navegaram, a começar pelo teórico Marx que afirmava ser a religião o ópio do povo ou a própria teologia da libertação que tenta politizar as ações e ensinamentos de Jesus, com o único intuito de ensinar a doutrina marxista, doutrina que nega a existência de Deus.
Ao citar fatos reconhecidamente históricos deixa transparecer sua tentativa de doutrinação e total estupidez pois, ele sim, usa do nome de Deus para impor seu pensamento que diga-se de passagem nem é dele pois é idéia comum na cabecinha dos débeis que apesar do tempo e das informações não conseguem se atualizar.