7 de mar de 2011

Para Chaves Kadafi "nao e um assassino" e para o Sebento ele e "lider e irmao"

 Agora mesmo, com as transformações no mundo islâmico, é hora de apoiar em alto e bom som os germens de modernização, em vez de guardar um silêncio comprometedor. Ou, pior, quebrá-lo para defender o indefensável, como Hugo Chávez ao dizer "que me conste, Kadafi não é assassino". Ou como Lula, que antes o chamou de "líder e irmão"! Para não falar dos intelectuais "de esquerda" que ainda ontem, quando eu estava no governo, viam em tudo o que era modernização ou integração às regras internacionais da economia um ato neoliberal de vende-pátria. Exigiam apoio a Cuba, apoio que não neguei contra o injusto embargo à ilha, mas que não me levou a defender a violação de direitos humanos. Será que não se dão conta de que é graças ao maior intercâmbio com o mundo - e principalmente com o mundo ocidental - que hoje as populações do norte da África e do Oriente Médio passam a ver nos valores da democracia caminhos para se libertarem da opressão?

Ler o artigo todo de FHC no : http://www.facebook.com/home.php?sk=group_139425949442000&id=170466946337900

Um comentário:

incognitus disse...

Sobre o seu ultimo comentario; somos despidos da vaidade esqueça creditos e vamos a luta na net ha aqueles vaidosos que gostam dos "creditos"! e serem citados o que vale e nobreza da causa.
Um abraço