24 de set de 2010

Essa mulher nao deveria ter sua candidatura impugnada?

Quer dizer Senador que Dilma simplesmente diz que nao aceita convite seu nem para um cafezinho e nao ira prestar esclarecimentos sobre os atos de Erenice Guerra quando ela ainda era Ministra? E dai Senador? O que pode ser feito num caso como esse onde uma candidata a Presidente da Republica zomba de um Senador e nos envergonha ainda mais diante de tanta hipocrisia. Essa mulher nao deveria ter a sua candidatura impugnada por desrespeito a autoridade de um Senador da Republica? E por nao querer prestar contas do que se passou durante o seu mandato como Ministra? Nos povo exigimos respeito, principalmente quando se trata de um senador atuante e probo como Alvaro Dias. Um abraco, Tereza.

Comentario no: http://www.blogalvarodias.com/2010/09/resumo-da-semana-25/

7 comentários:

Anônimo disse...

Carta da CNBB aos fiéis sobre Dilma.



A Igreja Católica Apostólica Romana manifesta-se assustada com o rumo dos acontecimentos nos bastidores da política do PT e também assume, com esse depoimento, posição de alerta contra a possibilidade de ser eleita a candidata da situação.
Isto serve de alerta para todos os Cristãos.
Carta da CNBB aos fiéis sobre Dilma
"O comunismo é a filosofia do fracasso, o credo da ignorância e o evangelho da inveja. Sua virtude inerente é a distribuição equitativa da miséria". Winston Churchill
RIO - A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma carta na última segunda-feira na qual pede que os fiéis não votem na candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.
Leia a carta na íntegra:
"Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus"
Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus). Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de "Deus" não seja manipulado ou usurpado por "César" e vice-versa.
"Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo isso é de Deus e não de César. Vice-versa extrapola da missão da Igreja querer dominar ou substituir-se ao estado, pois neste caso ela estaria usurpando o que é de César e não de Deus.
"Já na campanha eleitoral de 1996, denunciei um candidato que ofendeu pública e comprovadamente a Igreja, pois esta atitude foi uma usurpação por parte de César daquilo que é de Deus, ou seja, o respeito à liberdade religiosa.
"Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.
"Na condição de Bispo Diocesano, como responsável pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que - por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -, denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida, dom de Deus,como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender.
A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos não pode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido político, mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto. (confira-se Ex. 20,13; MT 5,21).
"Isto posto, recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais "liberações", independentemente do partido a que pertençam.
"Evangelizar é nossa responsabilidade, o que implica anunciar a verdade e denunciar o erro, procurando, dentro desses princípios, o melhor para o Brasil e nossos irmãos brasileiros e não é contrariando o Evangelho que podemos contar com as bênçãos de Deus e proteção de nossa Mãe e Padroeira, a Imaculada Conceição.


Dom Luiz Gonzaga Bergonzini"

NÃO VOTAR NO PT É DEVER CÍVICO E CRISTÃO

Anônimo disse...

Ahahahaha, você é mesmo uma piada. Como pode escrever tanta besteira assim? Em primeiro lugar, pergunte ao "probo" senador quem ele está apoiando como candidato a governador do estado dele. Quando ele lhe responder que é o irmão que, por acaso, apoia e é apoiado pela Dilma e pelo Lula, quem sabe vc não pede a ele para se auto-impugnar??? Hhahahah. Outra coisa: vai estudar como funciona o congresso, a justiça e todo o resto; senão vai continuar a passar recibo de incompetência neste bloguinho...No Senado há 81 senadores! Se uma candidata recusa o convite de unzinho só, ou até de 30, que não são maioria, ela pode!! E mesmo que não pudesse isso não impugna candidatura de ninguém! Como pode alguém com seu nível de ignorância política - elevadíssimo! - ter sido professora??? Inacreditável.

"Política sem medo" disse...

Resposta a um ANONIMO das 3:30. Primeiro, o senador sabe que eu estou falando dos desmandos e desobediencia as leis vigentes por parte da candidata para a possivel impugnacao de sua candidatura. Segundo, sei muito bem que o senador apoiara seu irmao. Ele deve saber que este e merecedor do seu voto. Ou voce nao sabe que vivemos numa democracia (mesmo com o PT e 8 anos de corrupcao) e nao apoiamos partidos e sim candidatos? Acesse este link e veja que pessoas mais importantes que um ANONIMO acham que eu ajudei na elaboracao do Proposta SERRA. E so rolar o PDF ate a letra T, la vera meu nome TEREZA DA CRUZ THOMPSON como uma das blogueiras destaques. Ok? Tenha calma, se Dilma perder ai voce podera mostrar a cara e dizer que sempre foi Serra.

"Política sem medo" disse...

Ah o link e este: http://serra45.podbr.com/downloads/relatorio_atividades.pdf

"Política sem medo" disse...

http://serra45.podbr.com/downloads/relatorio_atividades.pdf

Anônimo disse...

Bem, já que resolveu responder e, como sempre, passar recibo de ignorância política, procure saber o que significa a expressão "quociente eleitoral". Quando compreender, entenderá que votamos, sim, no Brasil, nos partidos em primeiro lugar. É o total de votos dados ao partido que é utilizado como base para a distribuição das cadeiras nos parlamentos municipais, estaduais e nacionais.
Segundo, o governador eleito vai precisar dos parlamentares de sua base, eleita com ele. E que foi eleita pelo voto dado aos partidos em primeiro lugar. Portanto...portanto, como sempre, você está errada. Nada de novo nisso.
Terceiro, se o Álvaro Dias apoia o irmão porque confia nele, então, segundo seu próprio raciocínio, deve achar que a decisão do irmão de ser apoiado pelo Presidente Lula e pela Dilma está correta. Caso contrário, além de oportunista ele seria incoerente.
Finalmente, se alguém que subscreve como proposta de plano de governo a criação de uma CPI - prerrogativa exclusiva do parlamento e não do executivo - é uma das contribuintes destacadas do programa de governo do Serra, então está parcialmente explicado o nível rasteiro do programa, do candidato e do partido.
Quer criticar? Ótimo, direito seu; mas faça direito, para não fazer papel ridículo como sempre faz aqui.

"Política sem medo" disse...

Isto e para voce anonimo,eu sei muito mais do que o Presidente do STE/STF, nomeado pelo molusco da silva:
A irritação do presidente Lula com as críticas demonstra a dificuldade de conviver com a democracia

O BRASIL É UM país estranho. O TSE fez várias propagandas explicando ao eleitor quais são as funções dos deputados, senadores, governadores e do presidente.

Contudo, ao relatar as principais atribuições do presidente, ocupou mais da metade do tempo dizendo que cabe a ele divulgar o país no exterior, viajar e buscar novos negócios. Curiosamente, nenhuma dessas funções fazem parte do artigo constitucional que regulamenta as atribuições presidenciais.

Ou seja, o TSE, que é presidido por um ministro do STF, desconhece qual o papel que deve ser exercido pelo presidente da República.

Continue lendo aqui: http://serra45.com.br/noticia.asp?urldest=a-cara-do-cara