4 de mai de 2010

Liberar a venda de Drogas?

Eu concordo com Dra. Maria Lucia Karan pois o maior problema das drogas e o contrabando perigoso a que estao sujeitos todos aqueles que precisam da droga. A proibicao nao ajuda ninguem, a nao ser os grandes traficantes que se enriquecem as custas da desgraca dos fracos viciados. Estes sao feitos escravos para conseguir um pouco para o uso e assim ... See Moreo chefe sempre tem um comercio garantido. Se fosse tudo regulamentado o governo cobraria imposto normal e a venda seria num lugar oficial e os lugares para consumo seriam tambem regulamentados. Assim evitaria que encontrassemos viciados por todos os cantos. Quem quizesse consumir nao precisaria se arriscar mais do que ja faz consumindo essas porcarias.

Comentario meu no Facebook no artigo Legalizar e Necessario  da Dra. Maria Lucia Karan, postagem feita por Ogar Karabakian:  http://www.facebook.com/photo.php?pid=30823505&id=1319164225#!/group.php?gid=312339663982

2 comentários:

CAntonio disse...

Cris,

Desculpe-me, mas a coisa não é tão simples assim. Não se resume a legalizar e tudo ficaria maravilhoso, viveríamos num país de primeiríssimo mundo.

As drogas (o álcool inclusive) são responsáveis por mortes estúpidas e continuarão acontecendo. O jovem - ou marmanjão - sem grana para sustentar o vício, continuará roubando e matando para se saciar. Os estupros, roubos, assaltos, as agressões aos pais (que se recusam a financiar o vício dos filhos) continuarão acontecendo.

Ou legalizaremos todos esses crimes também?


Grand'Abraço

Anônimo disse...

O ser humano, quando sai da vida nômade para se organizar em pequenos grupos sociais, o faz única e exclusivamente com o intuito de EVOLUIR, melhorar, progredir. Assim é a história da humanidade. Sendo assi,m e considerando que a EVOLUÇÃO é inerente a tudo e todos, cabe ressaltar que a liberação do consumo de drogas por alguns países vai em desencontro ao processo evolutivo da humanidade pois seria o mesmo que apoiar a miséria moral humana explicitamente, seria como INSTITUCIONALIZAR O ERRO e em nada mudaria a situação atual. Muito pelo contrário, seria o estado o promotor do vício, um cúmplice de práticas danosas ao ser humano.
Devemos pensar em liberar sim: recursos finaceiros para a prática esportiva, para a educação de qualidade, para a urbanização, para a geração de emprego e renda, jamais para práticas danosas à saúde.
O Brasil está se tornando um país de drogados de todo gênero. Liberar o consumo seria contribuir institucionalmente para o aumento do número de viciados em drogas.
O consumo de drogas deve ser combatido SEMPRE.