Seguidores

6 de jul de 2009

Imprensa Chavista

Imprensa chavista"

Comparável à hostilidade em relação ao presidente da Venezuela, só mesmo a que é dirigida à imprensa, que, no entender de militantes anti-Zelaya, tem oferecido um retrato distorcido e tendencioso do que se passou em Honduras.

Em uma manifestação realizada na sexta-feira, um manifestante carregava um cartaz no qual chamava a rede CNN de "Chávez News Network".

Quando a reportagem da BBC Brasil e do serviço em espanhol BBC Mundo montaram sua câmera para filmar uma manifestação pró-governo interino, um ativista com cara de poucos amigos perguntou:

"São de onde, da Venezuela? Digam a Chávez que não o queremos aqui".

Alguns chegavam a gritar: "cães, mentirosos" para os repórteres da BBC.

Outro participante do comício, que não havia visto a filmagem que realizáramos durante o início do evento, perguntava, em tom agressivo:
"Por que não filmaram antes, quando havia um monte de gente nas ruas? Porque só estão filmando agora, quando todo mundo já foi embora?"

Sara Herrera, uma hondurenha que morou por anos no Brasil e fala português fluente, mostrou mais ponderação ao falar com a BBC Brasil. Mas também expressou a frustração que vem acometendo os hondurenhos anti-Zelaya:

De acordo com Sara, a imprensa, até mesmo uma emissora brasileira a que ela contou ter assistido recentemente, só está exibindo "a outra cara da notícia".

"Eles não estão falando que somos mais de 80% de pessoas que não querem que o presidente Zelaya volte a Honduras, porque ele estava desrespeitando o tempo todo a lei do país. Somos gente de um monte de partidos, não só do partido que está governando. Não é só gente rica, não é só gente pobre. É o povo completo."
Fonte: Portal IG (Link....)


Comento que a repugnância quanto à atitude que a mídia PeTralha também está tomando no Brasil, é total. Há pouco o canal Estatal por assinatura Globo News, entrevistou o professor de Relações Internacionais Williams da Silva e este passou a informação tendenciosa, que Zelaya, o verdadeiro golpista desta história, "só queria fazer um plebiscito depois que estivesse fora do poder". Mentira!!!! Zelaya foi deposto porque afrontou às instituições, às FFAA hondurenhas, inclusive destituindo o seu chefe, Romeo Vásquez, com a intenção de realizar um referendo absolutamente ilegal, que contrariava a Lei Eleitoral, que só permite a realização de consultas populares até 180 dias antes das eleições! Zelaya ainda reafirmou o referendo, dizendo que faria o mesmo na "marra"!


Chávez, o bufão canalha caribenho, quer mesmo é que o sangue do povo hondurenho seja derramado, pois em sua mente psicopata, o mesmo enxerga a tragédia como lucro político para a famigerada "revolução bolivariana"; revolução esta que só pode ter sido idealizada por uma mente insana, perturbada, ganaciosa e ávida pelo poder infinito. A revolta contra a mídia brasileira é justamente pela mesma ter se tornado um agente desta insanidade. É legítima a hostilidade do povo hondurenho, não só contra a mídia PeTralha amestrada, assim como contra toda e qualquer reportagem que tenda para o lado da mentira socialista do século 21.


É vergonhosa a atitude do jornalismo brasileiro (sem querer generalizar), colocar-se do lado do atraso de um regime político falido e nefasto.
Torço para que Honduras resista e mostre ao mundo a farsa pela qual passa a américa latina.


Quanto a O.E.A; esta deveria mudar de sigla e passar a chamar-se de comitê central da ideologia nauseabunda de Chávez e seus asseclas!




Postado por RESISTÊNCIA E LIBERDADE, TEXTOS E IMAGENS às 18

Um comentário:

Laguardia disse...

Estou reproduzindo seu texto no Blog Brasil Liberdade e Democracia