Seguidores

31 de jul de 2009

A FORMACAO DAS NOSSAS GUARDAS REVOLUCIONARIAS



Agradeco a indicacao o amigo Laguardia, para que meu blog receba o selo "Questo blog tocca el Cuore, criado pelo blog Opinion Cubana. E uma honra para mim!Obrigada!



Ternuma Regional Brasília
Gen. Bda Refo Valmir Fonseca Azevedo Pereira


Uma das características dos regimes de esquerda é o seu visceral matiz populista.
Na sua empreitada, usam e abusam de subterfúgios para atrair e cooptar para os seus projetos de poder, as massas humanas. Contudo, como sabem os seus condutores, a urbe é amorfa, inerme e de pouco ou nenhuma valia será para os seus planos.
Cabe, aquietar e adormecê-la com promessas e esmolas.
Ao populacho, cumpre dividi-lo em segmentos, mais fáceis de serem conduzidos (lembram-se de como são domesticados porcos selvagens?). Identificados os setores propícios, a sua cooptação poderá ser efetivada de diversas maneiras, inclusive pela exacerbação de suas reivindicações, e pela fomentação de posturas e posições intransigentes.
Depois, basta alimentar o novo monstrinho, afagá–lo, e propiciar-lhe os meios para torná-lo uma bomba ambulante.
A criação de uma miríade de Ministérios, principalmente os ligado à área social nos mostram como o desgoverno esta adiantado nesta área. Além disso, de forma legal (?), mas flagrantemente desonesta, e sem esconder suas reais intenções, através de Autarquias e Estatais como a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, sem esquecer os demais organismos que se prestam a este tipo de escamoteação, o desgoverno reverte às claras recursos para a sustentação destes movimentos subversivos.
As verbas, apesar de indecorosas, são repassadas sob a capa da real intenção de beneficiar aquelas entidades, todavia, não para o seu efetivo usufruto, mas para serem utilizadas e aos seus títeres e sua importância simbólica, em prol dos projetos do desgoverno.
Não sem razão, dias atrás emergiu na imprensa, um antigo recado do “nosso guia” para a área jurídica, e a ameaça da “metamorfose” foi, que se uma determinada decisão não acontecesse, conforme os seus desejos, ele colocaria o seu “bloco na rua”, referindo – se às estripulias que as entidades co - irmãs da esquerdalha poderiam fazer.
A ameaça procede, pois assim como na China de Mao, aquele líder açulou, quando conveniente, suas “Guardas Vermelhas”, constituídas por estudantes fanatizados, aqui, como no Irã, na Coréia do Norte, na Venezuela, em Cuba, e noutros países, os dirigentes comunistas, astutamente, desarmam as populações, e constituem e armam suas “legiões”, que designam de milícias populares, pretendendo que seu levante caracterize um clamor aceitável e, por conseguinte, legítimo.
Aqui, pouco a pouco, vamos formando e fortalecendo a(s) nossa(s) milícia (s), e estão certos aqueles que afirmam que o “golpe” em Honduras, não ocorreria por aqui. Hoje, o “nosso guia” possui tal poder, que se lhe der na telha, poderá assumir, tal como Fidel, em Cuba, a governança perpétua ou velada deste País.
Estamos seguros em afirmar que, com base no adestrado MST, o apoio da grande imprensa, o conluio do Congresso, a conivência do judiciário, o suporte da Força Nacional de Segurança, a mobilização dos sindicatos e o barulho dos estudantes (através da inefável UNE), o “nosso guru” poderá fazer desta Nação, o que lhe der na telha ou lhe for mais conveniente (já designou a sua sucessora).
Em Honduras, Zelaya foi impedido de dar o seu golpe, o do “Referendo” ao arrepio das leis, pois as demais instituições estavam atentas e repudiaram a tentativa. Nós, ao contrário, não temos as mesmas armas, nem qualquer arremedo de oposição, e as nossas instituições estão falidas, e não se atreveriam a contrariar os desígnios do “chefe”.
Mas, enquanto isso, o desgoverno, pelo sim ou pelo não, para evitar dissabores futuros, vai fortalecendo e adestrando suas milícias.
Não por acaso, MST, UNE, indígenas, gays e lésbicas, negros, quilombolas, sem teto, e uma infinidade de quistos e minorias sociais estão sob o guarda chuva da esquerda.
Um dia, caso a sociedade não se comporte, ela sentirá o peso das hordas petistas.

Nenhum comentário: