30 de abr de 2007

Mangabeira s/ cargo X Mangabeira c/cargo

Meus amigos, gostei muito do artigo que Josias de Souza salvou do blog do Mangabeira Unger, por isso transcrevo para vocês. Não é que o cidadão com sotaque deletou tudo o que tinha falado sobre o inpeachment de "lula" só porque agora faz parte da gang?
Afirmo que o governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional. Corrupção tanto mais nefasta por servir à compra de congressistas, à politização da Polícia Federal e das agências reguladoras, ao achincalhamento dos partidos políticos e à tentativa de dobrar qualquer instituição do Estado capaz de se contrapor a seus desmandos.
Afirmo ser obrigação do Congresso Nacional declarar prontamente o impedimento do presidente. As provas acumuladas de seu envolvimento em crimes de responsabilidade podem ainda não bastar para assegurar sua condenação em juízo. Já são, porém, mais do que suficientes para atender ao critério constitucional do impedimento. Desde o primeiro dia de seu mandato o presidente desrespeitou as instituições republicanas.
Imiscuiu-se, e deixou que seus mais próximos se imiscuíssem, em disputas e negócios privados. E comandou, com um olho fechado e outro aberto, um aparato político que trocou dinheiro por poder e poder por dinheiro e que depois tentou comprar, com a liberação de recursos orçamentários, apoio para interromper a investigação de seus abusos.
Afirmo que a aproximação do fim de seu mandato não é motivo para deixar de declarar o impedimento do presidente, dados a gravidade dos crimes de responsabilidade que ele cometeu e o perigo de que a repetição desses crimes contamine a eleição vindoura. Quem diz que só aos eleitores cabe julgar não compreende as premissas do presidencialismo e não leva a Constituição a sério.
Afirmo que descumpririam seu juramento constitucional e demonstrariam deslealdade para com a República os mandatários que, em nome de lealdade ao presidente, deixassem de exigir seu impedimento. No regime republicano a lealdade às leis se sobrepõe à lealdade aos homens.
Afirmo que o governo Lula fraudou a vontade dos brasileiros ao radicalizar o projeto que foi eleito para substituir, ameaçando a democracia com o veneno do cinismo. Ao transformar o Brasil no país continental em desenvolvimento que menos cresce, esse projeto impôs mediocridade aos que querem pujança.
Afirmo que o presidente, avesso ao trabalho e ao estudo, desatento aos negócios do Estado, fugidio de tudo o que lhe traga dificuldade ou dissabor e orgulhoso de sua própria ignorância, mostrou-se inapto para o cargo sagrado que o povo brasileiro lhe confiou ...”
Parabéns Josias, vamos esfregar na cara de Unger assim como Angelodacia fez com Emir Sader? Maravilha.

5 comentários:

Anônimo disse...

É Tereza.Mais um picareta que ven-
deu a alma para o diabo.É um verda-
deiro bacanal,que fazem com dinhei-
ro do povo,comprando o silêncio dos
que um dia o criticaram.Êsse gover-
no virou um antro de prostitutos
que fazem inveja aos Calígulas e
adeptos de Sodoma e Gomorra.Arreda,
satanás!Que todos se juntem a Sadan
Hitler,Che Guevarae tantos outros lá nos quintos dos infernos,amém.
TIAGILA.

TIAGILA disse...

É Tereza.Mais um picareta que ven-
deu a alma para o diabo.É um verda-
deiro bacanal,que fazem com dinhei-
ro do povo,comprando o silêncio dos
que um dia o criticaram.Êsse gover-
no virou um antro de prostitutos
que fazem inveja aos Calígulas e
adeptos de Sodoma e Gomorra.Arreda,
satanás!Que todos se juntem a Sadan
Hitler,Che Guevarae tantos outros lá nos quintos dos infernos,amém.
TIAGILA.

Rodrigo Martins disse...

É incrível como cada pessoa tem seu preço. O brasileiro está melhorando a sua memória e alguns de nós não deixaremos de resgatar sempre do passado para lembrar os discursos e falcatruas outrora realizados.

Bravo disse...

Olá...

Os comentários estão muito bons.

Estou um pouquinho sem tempo de escrever, mas passo aqui pra deixar minha indignação contra essas pessoas cuja alma não vale 1 vintém.

Abraços.

Blogildo disse...

Não adianta, T! Esse pessoal não tem vergonha de engolir as próprias palavras. Ser de esquerda é nunca ter de se arrepender.

Abraço!