11 de ago de 2017

LULA LEVA MAIS UM "COICE DE MULA" DO STJ E PERDE DE NOVO



O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou um novo pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para declarar o juiz Sergio Moro como suspeito em processos da Lava-Jato que o envolvem. Assim, Fischer concordou com decisão anterior do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Ele também recusou a tese de que a 13ª Vara Federal em Curitiba, comandada por Moro, não poderia processar o petista por fatos ocorridos durante o seu mandato, em Brasília. As informações são d’O Globo.
Segundo Fischer, não há ilegalidade na deliberação do TRF-4, e o meio processual escolhido não era adequado para o exame da suspeição de Moro ou da suposta incompetência da Vara Federal em Curitiba. A questão ainda permeia três agravos em recurso especial — recursos em que o pedido, aí sim, deve ser analisado, de acordo com o magistrado.
A defesa alegava que a postura de Moro durante as audiências da ação penal contra o petista na Lava-Jato eram “fatos novos”. Desta forma, na visão dos advogados de Lula, o novo material poderia balizar uma nova análise da suspeição de Moro e demonstraria a parcialidade do juiz no processo.
 COMENTARIO MEU: So entendo que essas protelacoes so servem para adiar a pena de um criminoso Lula da Silva, reincidente e que continua destilando maldades e violencias contra o povo do pais. Nao estaria no tempo de mudar essa lei que permite que advogados de bandidos usem de tantos artificios para adiar o processo indefinidademte? E um sem numero de adiamentos, pedido de vista ao processo, Habeas Corpus, exigencias desrespeitosas feitas pelos reu e que advogados acatam, apenas para ganhar tempo e dinheiro! Como da nojo ver um comportamento desses, enquanto os juizes sao humilhados, ironizados, desafiados, xingados, quando a PGR nao faz nada e nao toma providencias e nem pune o reu que abusa de direitos que NAO tem, enquanto nao cumpre os deveres que deveria cumprir, como criminoso que e.

Nenhum comentário: