Seguidores

22 de dez de 2016

COMO RECONHECER E DESMONTAR AS MENTIRAS PETRALHAS

lava-jato-sergio-moro-foto-gil-ferreira-agencia-brasil
O termo FAC, da língua inglesa, significa “frequently asked questions”, ou seja, “perguntas frequentes”. É uma seção tradicional em alguns produtos, serviços e websites. Pois chegou a hora e a vez de fazer um da Operação Lava Jato. E considerando as “perguntas frequentes” repletas de ma-fé, lorotas narrativas e toda sorte de táticas de comunicação política.
Vamos lá:

NÃO HÁ PROVAS, SÓ CONVICÇÕES

Mentira, óbvio. Isso nunca foi dito. Na verdade, já foi COMPROVADA a forma como criaram essa mentira, mas ainda assim seguem insistindo. Por quê? Porque eles são assim e, na falta de argumento, fazem isso.

SÓ INVESTIGAM O PT

Também mentira. Pra começo de conversa, o partido com maior número de investigados é o PP. Há também pessoas do PMDB, PSDB, PTC, empresários etc. A ideia de criar uma narrativa de perseguição acaba esbarrando na matemática (e os dados estão aí). Quanto ao mais, por depreensão óbvia, uma operação que investiga escândalo em determinada empresa pública obviamente atingirá o governo sob o qual aconteceram tais escândalos, de modo que tal partido – e sua base – serão os principais investigados. E agora com as delações dos executivos da Odebrecht, definitivamente isso de “perseguição ao PT” fica ainda mais risível.

MORO EXAGERA

Mais uma gloriosa lorota. As decisões de Sergio Moro são na maior parte das vezes mantidas pelo TRF. E muitas das penas que ele imputa são até mesmo AUMENTADAS. Isso mesmo: são decisões consideradas juridicamente BRANDAS.

SÓ LULA RECEBEU ORDEM DE CONDUÇÃO COERCITIVA

Lorotíssima. A cascata pura e simples. Para se ter ideia da enorme quantidade de conduções coercitivas, apenas antes da fase 24. em março deste ano, quando houve a de Lula, a Lava Jato já tinha realizado 114 conduções coercitivas. E depois houve muitas outras. O ex-presidente foi tratado como uma pessoa comum.

DÁ PREJUÍZO AO PAÍS

Quando todas as demais são desmentidas, porquanto factuais e objetivas, é hora de apelar para isso. E isso é o quê? TAMBÉM MENTIRA! Uma papagaiada um tanto mais elaborada, mas ainda assim mequetrefe. Afinal, por mais que determinadas empresas gigantes “gerem empregos”, é preciso considerar que o saldo não é positivo quando essa geração empregatícia decorre do desvio de bilhões em verbas públicas – guardadas proporções, seria como defender o tráfico dizendo que “gera empregos”. Em setembro deste ano, a Lava Jato estimava em R$ 200 bilhões o prejuízo com a corrupção. Isso sim prejudica o país, não uma operação que busca parar com tais práticas e ainda por cima devolver bilhões aos cofres públicos. Por fim, mas não menos importante, esse tipo de “argumento” é nada menos que uma defesa do crime e dos criminosos.
Taí. Encaminhe para aquele amigo que insiste nas lorotas. Ele não terá mais o que dizer.

Nenhum comentário: