Seguidores

CORRIDA CONTRA O FORO DE SAO PAULO

CORRIDA CONTRA O FORO DE SAO PAULO
JUIZ SERGIO MORO, NOSSO ORGULHO!

2 de out de 2016

VEJAM POR QUE OS VERMELHOS NAO QUEREM AS REFORMAS DA EDUCACAO


Como sempre, para eles, vale o “quanto pior, melhor”. Nada de novo.Veja os 3 ótimos pontos da
reforma-do-ensino-medio-razoes-contrarias

Reforma do Ensino Médio que fazem a esquerda odiá-la

Não é novidade que a esquerda seja contra boas iniciativas, mas por receio de que o resultado positivo possa ser colhido por adversários políticos. Foi assim no Plano Real e na Lei de Responsabilidade Fiscal, por exemplo.
Eles não davam o braço a torcer menos por divergência ideológica e mais por raiva de que, afinal, eram coisas boas – e dariam votos para oponentes.
Pois é exatamente isso que acontece agora, com a Reforma do Ensino Médio. E há três motivos preponderantes. A ver:

1 – BOA PARA A EDUCAÇÃO

Sim, é boa. A diminuição de matérias obrigatórias, o foco em áreas de interesse do próprio aluno, expansão do ensino técnico, o aumento da carga horária e o investimento no ensino integral são medidas inequivocamente boas. Óbvio que o resultado será positivo e alguns anos após a implantação teremos, afinal, uma melhoria visível. Também é claro que não será a resolução de TODOS os problemas, porém melhorará, sim.
E eles são contra porque não querem que adversários fiquem “bem na foto”. É o oportunismo político de mãos dadas à mesquinhez.

2 – BOA PARA O EMPREGO

Além de resultados diretamente positivos na educação, há o reflexo no mercado de trabalho. Um ensino médio mais qualificado decorre, por óbvio, em profissionais melhores – seja qual for a área. Mas há um outro “detalhe”: ensino técnico. Com o aumento da oferta de cursos técnicos/profissionalizantes, maiores as chances já em curto prazo de o aluno conseguir vagas mais qualificadas, com melhores salários.
Daí vem o desespero da rapaziada que não quer dar esse “gostinho político” ao atual governo.

3 – MENOS IDEOLOGIA NAS SALAS DE AULA

Para além dos dois fatores mais pragmáticos e objetivos, há esse pormenor (que, a rigor, está longe de ser um mero “pormenor”). A Reforma do Ensino Médio não diz expressamente, mas todo seu conteúdo é voltado para o aprendizado mais acadêmico ou técnico, não à ideologização das aulas. Soma-se a isso o atual clima de “Escola sem Partido” e temos uma esquerda ainda mais nervosa e contrária à mudança.

CONCLUSÃO

Sabemos que, de fato, o Novo Ensino Médio proposto pelo MEC é bom. Não resolverá todos os problemas, mas é um ótimo ponto de partida.
Mas, além disso, basta ver quem é contra para dar a certeza absoluta de que, sim, será mesmo uma mudança positiva.

Nenhum comentário: