Seguidores

12 de mar de 2016

APOIO DE PESO A FORCA-TAREFA QUE PEDIU A PRISAO DE lULA. ISSO E QUE CONTA.

Maior da história recente do Ministério Público, a mobilização é uma resposta a juristas e até colegas da própria instituição que censuraram o pedido de cadeia para Lula



Cerca de 600 promotores e procuradores divulgaram manifesto, nesse sábado (12), apoiando os seus colegasCássio ConserinoJosé Carlos Blat e Fernando Henrique Araújo, que denunciaram e pediram a prisão preventiva do ex-presidente Lula no Caso do Tríplex ou Caso Bancoop.

Lula é acusado de ter cometido crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica ao supostamente ocultar a propriedade de um tríplex no edifício Solaris, no Guarujá (SP), registrado em nome da OAS. A investigação mostra que a empreiteira gastou R$ 777 mil para reforma sofisticada no imóvel.

Maior da história recente do Ministério Público, a mobilização é uma resposta a juristas e até colegas da própria instituição, além de políticos, que censuraram o pedido de prisão preventiva do investigado, como se a lei fosse igual para todos, mas muito igual.

ÍNTEGRA DO MANIFESTO

Os membros do Ministério Público brasileiro abaixo nominados vêm a público externar seu apoio ao trabalho dos Promotores de Justiça no caso BANCOOP, que envolve o ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. A atuação firme e independente demonstrada neste caso é fruto de meses de trabalho sério, dedicação e esforço em prol da sociedade brasileira.

No exercício de suas funções constitucionais, muitas vezes o Ministério Público enfrenta forças políticas e econômicas de diferentes grandezas. Mesmo diante das dificuldades, a Instituição sempre prestou serviços cuja relevância é reconhecida pela sociedade, destinatária dos nossos trabalhos. Esse reconhecimento se deve à qualidade técnica, combatividade e independência com que as atividades ministeriais são conduzidas – mesmos atributos que nortearam o trabalho dos Promotores de Justiça no caso BANCOOP.

Em tempos de crise, a força do Direito e das Instituições Democráticas é colocada à prova. Por isso, é indispensável atravessar a turbulência sem pôr em risco conquistas históricas, entre as quais a independência funcional e o poder investigatório dos membros do Ministério Assim, convictos dos fundamentos acima expostos, nós desejamos força e depositamos toda confiança no trabalho dos colegas Cássio Conserino, Fernando Henrique de Moraes Araújo e José Carlos Blat, pois devidamente alinhado à Constituição e às Leis da República.

Nenhum comentário: