15 de set de 2012

Uma pausa para falar ao meu filho Ricardo

Ola filho, tudo bem?
Voce nem imagina quanto fiquei feliz ao ver a mensagem que voce deixou para mim no qual voce dizia que aprendeu boas coisas aqui como: amor, solidariedade,dedicacao, doacao de si proprio em favor do outro, amor pelos animais domesticos como a Canguru e selvagens como os Chipmonkeys e os Squirrels que estao em toda parte.
Bom tambem que voce sente orgulho por ser meu filho mas eu tambem me orgulho de te-lo como filho. Voce ficou agradavelmente surpreso pela dedicacao e carinho com que Merle me trata e o que ele faz para tornar a vida menos dura para mim. Penso que ser atencioso e parte da personalidade do homem canadense mas o Merle e um caso a parte e se supera a cada dia que passa. Ele me ama muito e diz isso varias vezes por dia. Ele e parte de um sonho que estou vivendo ha quatro anos. Agora temos um ao outro e por isso vivemos o amor que sentimos pois sabemos que o nosso tempo e curto.
Espero que voce possa agora, melhor do que antes desfrutar prazeirosamente a companhia dos seus filhos, principalmente a Vitoria que esta na pre adolescencia e tambem sua mulher que o ama de verdade. Essas pequenas coisas e que nos fazem felizes.
Este poema foi feito para alguem assim como voce, sensivel, polido e gentil com todos. Veja

CONSELHO

Quando a angustia quiser morar contigo
e, mansamente, vier pedir pousada,
deixa-a ao relento, ao frio, ao desabrigo
e, ao coracao jamais lhe des entrada!

Quando a dor de estar so te surpreender
em pensamentos loucos de tristeza,
Abre teus olhos, ainda podes ver
que neste mundo, ha tanto de beleza!

Colhe uma flor, aspira-lhe o perfume
Caminha um pouco vai sentir o mar...
o barulho das ondas, teu qeixume
bem depressa, por certo, ha de abafar!

Olha o infinito azul, a luz do dia,
o sol radiante a transmitir calor,
Espanta para longe a nostalgia
e poe, no seu lugar, a Fe e o Amor!

Se fizeres assim, na alma ferida
teras a paz que julgas tao distante,
o entusiasmo vibrante pela vida
e novas forcas para seguir adiante!

Sabe quando foi escrito esse poema por Elzira Maria Crescenti Abdalla? Quando voce tinha um ano, em 1968
Espero que goste. E para manter-me ocupada e nao chorar mais sua ausencia daqui.
Seja feliz filho! Eu te amo.

Nenhum comentário: