10 de out de 2009

MST É O PT EM AÇÃO

Nivaldo Cordeiro
08 de outubro de 2009

Quem leu o editorial da edição de hoje do Estadão (Vandalismo sem limite) pode ficar confuso, se for leitor desatento do jornal. Certo, o editorial condena de forma clara os acontecimentos na fazenda de propriedade da empresa Cutrale, que teve 7 mil pés de laranjas destruídos de forma criminosa, sob o olhar complacente da polícia e da Justiça. O MST tem feito isso reiteradas vezes, sempre desafiante, sempre dando um passo adiante na sua ousadia revolucionária.
O que o jornal fez, no entanto, foi desvincular os atos de banditismo do partido governante, o PT, como se o MST não fosse uma de suas facções mais proeminentes. Ao condenar a facção sem condenar o governo que tem o movimento como base política o jornal levou seus leitores a pensar o mesmo, a achar que um nada tem a ver com o outro. Ora, o MST é cria do PT, vive de gordas verbas públicas e já foi recebido pelo Lula enquanto presidente da República. Na ocasião, Lula chegou a colocar o boné do MST, sua marca registrada, tanto quanto a sinistra bandeira vermelha que encima todos os seus acampamento e que está na vanguarda de suas marchas.
MST é também PT. Claro, é a facção mais comprometida com as ações bolivarianas. Seus membros jamais aceitaram o Estado de Direito e entendem que a propriedade privada, em especial a fundiária, é roubo, seguindo a linha revolucionária inaugurada por Rousseau. Quando vejo essas ações não posso deixar de me lembrar das páginas escritas pelo filósofo genebrino, que fascina nossos revolucionários tupiniquins. O problema fundamental dessa gente é que, embora cevados como porcos em chiqueiro, com verba pública, eles acreditam nessas sandices. Seu desejo é chegar ao poder mediante um golpe de Estado, como estão tentando agora em Honduras. Seu grande devaneio é implantar o socialismo, entendido no sentido maoísta do termo.

Essa gente é perigosa e só mesmo o aparato repressivo do Estado para lhe colocar limites. Mas o governador José Serra não quer correr o risco de ficar no caminho dos alucinados. Aquartelou a tropa, não cumpriu seu dever de expulsar os invasores e de prender os vândalos. Assim, acha que vai ganhar a simpatia dos facínoras sem perder a dos que são vítimas do vandalismo.

Os leitores do Estadão foram novamente ludibriados. O editorial deveria atacar Lula, por ter no MST um braço político, e José Serra, por se acovardar e não pôr a polícia para fazer o que precisava ser feito. Em troca, o editorial ficou no lero-lero de sempre, desinformativo, soporífero, minimizando os fatos graves. O jornal Estadão é mentiroso quando trata desse assunto.


Comentario de Tereza: E dai, Estadao, se falasse a verdade inteira pesaria no bolso do chefe? O que sera de nos se nao pudermos contar com uma imprensa livre? De que adianta voces ficarem milionarios com tanta ajuda governamental para ter a sua voz emudecida quando esse infame mostrar seu lado corrompido pela onda vermelha e com ansias por uma  ditatura? Ai seremos nos e voces as vitimas! Esta em tempo de repensar. Ja se passaram 7 anos de meias verdades. Nao acham que chega? Que vergonha!

2 comentários:

Laguardia disse...

O MST é o braço armado do PT. É o inicio da guerrilha que tem como objetivo implantar no Brasil uma ditadura do proletariado.

"Política sem medo" disse...

E verdade Laguardia, eu e voce sabemos disso mas sera que o Brasil sabe?