18 de jul de 2009

Presidente americano fala aos negros na NAACP

"Não há desculpas" para o fracasso, Obama diz a negros em discurso
17/07 - 10:36 - The New York Times

O presidente Barack Obama fez um exaltado discurso na noite de quinta-feira, alertando os pais negros para que aceitem suas próprias responsabilidades ao "colocar o Xbox de lado e pôr suas crianças para dormir em uma hora razoável" e dizendo que crescer pobre não é motivo para se ter notas ruins.

Reuters

Obama discursa na NAACP
"Ninguém escreveu seu destino para vocês", ele disse, falando a "todos os outros Barack Obamas por aí" que podem um dia crescer para assumir a presidência. "Seu destino está nas suas mãos e vocês não devem esquecer isso. Isso é o que eu tenho a ensinar a todas as nossas crianças! Não há desculpas! Não há desculpas!"

Obama falou durante 45 minutos a uma plateia composta por milhares de pessoas, na maioria negras, em smokings e vestidos de gala, que se reuniram no salão do hotel Hilton de Nova York para comemorar o 100º aniversário da NAACP, a maior organização de direitos civis dos Estados Unidos.

Ele foi em parte político e em parte um pregador negro ao falar de forma cadenciada, com a voz baixa em determinados momentos e elevada em outros. A certa altura, quando a plateia respondeu, ele riu e disse: "temos um canto do amém ali".

Ao pedir que os negros assumam a responsabilidade por si mesmos, ele também falou sobre problemas sociais (o alto índice de desemprego, a crise de moradia e energia) que criaram as condições para a existência de um maior número de negros desempregados. Ele disse também que o legado de Jim Crow ainda é perceptível, ainda que de formas diferentes.

"Não se enganem: a dor da descriminação ainda é sentida na América", disse Obama, por mulheres afro-americanas que recebem salários menores que mulheres brancas, por latinos "que se sentem não desejados", por americanos muçulmanos "vistos com suspeita" e "por nossos irmãos e irmãs homossexuais, ainda ridicularizados, ainda atacados, ainda negados seus direitos".

Assessores disseram que ele queria promover a ideia de responsabilidade pessoal (um tema frequente de sua presidência) mas ele também queria mandar uma mensagem aos pais negros e, especialmente, a seus filhos.

"Eles podem pensar que têm um bom arremesso ou uma bela voz, mas nossos filhos não podem todos ser LeBron ou Lil Wayne. Eu quero que eles queiram ser cientistas e engenheiros, médicos e professores, não apenas jogadores e rappers. Eu quero que eles queiram chegar à Suprema Corte. Eu quero que eles sejam presidentes dos Estados Unidos da América".

postado por Tereza as 22;36

Nenhum comentário: