Seguidores

21 de fev de 2009

Comuna Ameaca Graca Salgueiro

Liderança comuna" ameaça "ordenar eliminar" proprietária do Notalatina


Depois das duas últimas postagens o Notalatina recebeu muitos comentários, mas por um pequeno problema técnico – e passageiro, espero – não estou podendo publicá-los. É claro que nem todos merecem atenção ou divulgação, entretanto há muitos que serão publicados tão logo resolva este problema. Em relação à postagem de ontem sobre as fotos que comprovam que na Venezuela se comete crime eleitoral, recebi por intermédio de um amigo o informe de um blog (que não conheço) chamado “o mascate” dando um “furo de reportagem” copiado cinicamente do Notalatina sem os devidos créditos. E eu provo a desonestidade de quem fez isto porque recebi as fotos misturadas e tive o trabalho de pô-las na ordem seqüencial, do mesmo modo que aparece no tal blog. Não provo isto aqui (porque é um trabalho infrutífero), mas provei a amigos enviando o e-mail que recebi da Venezuela.

O(a) proprietário(a) daquele blog devia se envergonhar de copiar o trabalho alheio. Lembro que na minha infância havia muitos mascates, mas eles iam de porta em porta “vendendo” mercadorias; o desse blog não, ele prefere usurpar o trabalho alheio. Que coisa mesquinha e pobre, meu Deus... Aproveito para informar àqueles que me perguntaram se poderiam reproduzir em seus blogs o que informo aqui que sim, podem publicar e fico muito grata pela deferência, DESDE QUE INDIQUEM A FONTE, de preferência não publicando a matéria completa mas remetendo para o Notalatina.

Mas o motivo desta edição extraordinária é para dar conhecimento publicamente de um comentário que recebi de alguém que se intitula como uma “liderança comuna”. Não costumo dar muita importância a delírios mas este merece um comentário, e o faço intercalando em azul cada parágrafo desta pequena mas eloqüente mensagem. Bem, em primeiro lugar, não posso garantir que a pessoa que escreveu seja a mesma que diz ser (ou parece ser), até porque a rede é um imenso manicômio onde cada um é a pessoa que quer ser, até prova em contrário. Vamos à mensagem, transcrita literalmente:

>“Minha cara, tres observacoes de uma modesta "lideranca comuna":

"1.Seus artigos sao, em geral, bastante precisos quanto ao uso de nossas taticas e quanto a nossos objetivos estrategicos - parabens".

Sim, é verdade, porque não dou chutes a esmo mas estudo há anos, com seriedade e de fontes fidedignas, o movimento comunista internacional e nacional e a mente revolucionária, seus crimes e modos de ação, dos quais você é conivente ou participante. Inteligência serve, dentre outras coisas, para fazer isto que faço aqui, ou seja, alertar os ingênuos e desavisados.

2.Mas justamente pela sofisticacao de nossa estrategia bem como pelo esmagador poder que conquistamos (com muito trabalho, é bom que se diga), suas denuncias são rigorosamente inúteis".

Aqui você se superestima. Há uma quantidade imensa de estudiosos que, em silêncio e sem nenhum espalhafato, fazem seu trabalho de formiga nas escolas, universidades, agremiações, entre o empresariado. Os projetos comunistas nunca foram para aplicação imediata mas de longo prazo. Também aprendemos com Gramsci a ter paciência e perseverança, para conquistar corações e mentes. Usamos as mesmas táticas de vocês, só que inversamente e em prol do bem, da liberdade e da democracia, com as bênçãos de Deus, não do diabo.

“É só ver a recente vitória de nossas forças nos Estados Unidos, talvez o último possível foco de resistência".

Ora, mas isto não é nenhuma novidade! Basta ver quem apoiou e aplaudiu a vitória deste farsante muçulmano. Conta uma coisa que eu não saiba porque esta é velha!

“3. Sem querer parecer de forma alguma agressivo, mas sendo honesto, "a única razão pela qual voce e outros continuam vivos e escrevendo é porque os consideramos inofensivo".

Sim, “hay que endurecerse pero sin perder la ternura jamás!”, não é? Vocês comunistas assassinam um, com um sorriso angelical nos lábios… E com quanto prazer fazem isto! É curioso notar sua prepotência – como, de resto, de todo comunista/terrorista -, como se fosse DONO da vida e da morte de pessoas que nem conhece, “permitindo” que “continuemos" vivos! Quanta benemerência, quanta magnanimidade! Hoje não durmo, só em pensar que é a minha insignificância que me salva!

"São até algo úteis, dão um colorido a NOSSA sociedade. Tenha certeza de que não lhe guardo rancor ou ódio, mas que não hesitaria em ordenar sua eliminação no improvável caso de se tornar realmente inconveniente".

Aqui você se desnuda e faço questão que o mundo conheça suas idéias. Isto é uma clara ameaça de morte e ainda tem o cinismo de dizer que “não lhe guardo rancor ou ódio”. Como é que se mata alguém que não se conhece nem nutre sentimentos negativos por ela? Vejam bem, meus amigos, como é deformada a mente revolucionária. Acredita piamente que estaria praticando um bem à humanidade acabando com a minha vida. Este sujeito que se diz “uma liderança comuna” está me ameaçando de morte que, eufemisticamente (como os “recursos não contabilizados”), chama de “ordenar sua eliminação”. Se você é o José Antonio Gonçalves Duarte que militou no fracassado Partido Operário Comunista (POC) e veio aqui me ameaçar, saiba que não tenho medo nem vou parar de denunciar os crimes que vocês, comunistas, cometem de todas as formas há quase um século. Aliás, “eliminar” pessoas incômodas faz parte da natureza e estatutos de todos os organismos comunistas, que chamam de “justiçamento”. Leiam os livros escritos pelos próprios comunistas que hoje posam de vítimas; vejam os casos do Araguaia e de todo o movimento comuno-guerrilheiro das décadas de 30 e 60 - só no Brasil - que os “justiçamentos” não são poucos.

>“Seu” Antonio: vá catar coquinhos ou procurar sua turma. Vá procurar fazer alguma coisa de útil a alguém para ver se preenche o vazio que inunda sua alma corrompida e angustiada, vá curar sua demência psicopática em vez de ficar ameaçando de assassinar uma pessoa que não conhece e, segundo suas próprias palavras, é “inofensiva”. Envio uma advertência a todas as pessoas que lêem este blog: se alguma coisa de mal me acontecer – um acidente casual e aparentemente sem conexão com esta ameaça; um acidente de carro; um arranhão indevido; um assalto; um furto; uma doença inesperada; um ataque de vírus cybernético; uma perna quebrada -, denunciem esta ameaça feita por esta pessoa que “se diz” chamar J. Antonio Duarte.

"Um abraço
J. Antonio Duarte"

Não sou hipócrita, por isso não retribuo tampouco aceito o seu, pois não costumo abraçar meliantes.

Nota: Aos leitores que me chamaram a atenção sobre o brutal erro de ortografia na palavra “prosseguimento” na edição de ontem, agradeço a delicadeza do alerta mas justifico. Eu havia escrito “procedimento” e quando fui reler o texto antes de editar, vi que não era esta a que queria escrever e em vez de reescrevê-la toda, remendei a que havia, já cansada e louca para pôr a denúncia no ar. Como diz o ditado, a pressa é inimiga da perfeição, daí o erro crasso. Me perdoem!

Não desejo voltar a perder tempo respondendo mensagens deste teor mas, se este ou qualquer outro delinqüente tentar bancar o engraçadinho outra vez, estejam certos de que ponho a boca no mundo. Fiquem com Deus e até a próxima.

Comentários: G. Salgueiro

Nenhum comentário: